No icon

Mais de 50 mil famílias vivem em casas sem banheiros na PB, aponta IBGE

A Paraíba possui cidades ricas em história, belezas naturais e que são referência em tecnologia e inovação, mas o desenvolvimento não acompanhou muitas famílias do estado que ainda vivem em moradias precárias. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 24 mil residências da Paraíba são de taipa e 57 mil não possuem banheiro, seja na zona urbana ou rural.

Ter um lar confortável e seguro não faz parte da realidade da família de dona Francisca Maniçoba, que vive em um assentamento no município de Sousa, no Sertão. A agricultora vive em uma casa de taipa com banheiro improvisado atrás de uma cortina e conta que, no dia a dia, a família também não tem acesso à água encanada e nem saneamento básico.

Já em Campina Grande, no Bairro das Cidades, distante cerca de 10 km do Centro da cidade, o desenvolvimento também não chegou como deveria para a família de seu Severino Luiz Cavalcante e dona Josinete Maria Moura que vivem há oito anos em uma casa de madeira e barro.

De acordo com Severino, oito pessoas dividem o mesmo espaço para dormir e, juntos, compartilham o medo de que a casa caia sobre eles. Dona Josinete, afirma que todas as necessidades fisiológicas são feitas pela família dentro de sacos plásticos porque na casa não tem banheiro. Emocionada, ela confessa que não tem comida em casa e que um dos 13 filhos que teve morreu de fome.

Para a infectologista Priscila Sá, os danos para a saúde de pessoas que vivem em situações como a de Francisca, Severino e Josinete são preocupantes. Doenças como hepatite A, diarreia, leptospirose, esquistossomose, micoses e conjuntivite estão associadas a falta de higiene e podem ser adquiridas pela contaminação da água e dos alimentos.

No Tambor, outro bairro de Campina Grande, a casa de Mônica da Silva é feita de madeira, papelão e o piso é de terra batida. Ela afirma que ratos correm por dentro da casa e teme pela saúde de seus quatro filhos. A Paraíba tem 1.500 moradias feitas de madeira, 250 de palha e quase duas mil são construídas com outros materiais que não são tijolo ou cimento.

Fonte: G1PB

 

Comentários